12/28/2009


7 Personagens em hora de ponta assenta na construção e/ou na desconstrução dos muitos personagens que guardamos dentro de nós, não deixando de ser mais um número ou menos um número, enquanto urbe anónima que por obrigação abandona os seus sonhos de adolescente para se tornar na máquina infernal da sobrevivência.
Vai para o trabalho, vem do trabalho.
Vai para a escola, vem da escola.
Vai para a universidade, vem da universidade, se queres ser alguém na vida.
Esquece o teu raciocínio, os teus sentimentos, a tua necessidade de afecto. Zanga-te contigo próprio. Torna a vida dos mais atentos num inferno. Torna insuportável a tua relação de amor ou de simples afecto. Esquece-te de ti próprio sempre na esperança de que, depois da morte, outra vida haverá que te amparará entre ternas paredes, como se ainda estivesses no ventre da tua mãe.
Elisa Worm, 2008


Criação, Direcção, e Composição Coreográfica | Elisa Worm
Assistente de Direcção | Luis Carolino
Consultor Musical | Pedro Carneiro
Vídeo | Pedro Baptista
Banda Sonora e Sonoplastia | Elisa Worm/Pedro Carneiro
Interpretação e Criação |  Susana Otero, Rui Marques, Sara Leite e Flávio Rodrigues
Participação Especial | Vânia Almeida, Mafalda Estela, José Duarte, Alison Fernandes, Kelly Fernandes, Joana Gonçalves, Fábio Guedes, Marcelo Robalinho, Adriana Santiago, Briana Santos, Cláudio Silva, Marlene Silva e Tânia Silva
Figurinos |  Luis Carolino / Elisa Worm
Espaço Cénico | Elisa Worm
Desenho de Luzes | João Teixeira
Adereços | José Machado
Caixa de Engraxador | Ricardo Santos
Design Gráfico | Patricia Costa

12/17/2009

7 PERSONAGENS EM HORA DE PONTA | estreia absoluta

Vai ter a sua estreia absoluta no próximo dia 13 de Janeiro de 2010, seguindo-se espectáculos a 14 e 15, o espectáculo 7 PERSONAGENS EM HORA DE PONTA, de Elisa Worm. As apresentações terão lugar no Cine Teatro António Lamoso, em Santa Maria da Feira, pelas 21:30h, e inaugura a edição de 2010 do Festival das Fogaceiras organizado pela Câmara Municipal de Santa Maria da feira.

7 PERSONAGENS EM HORA DE PONTA marca o regresso de Elisa Worm à criação coreográfica envolvendo toda a equipa artística do Ballet Contemporâneo do Norte e contando com a colaboração do maestro Pedro Carneiro na elaboração da banda sonora.

7 PERSONAGENS EM HORA DE PONTA é já a terceira produção do Ballet Contemporâneo do Norte desde que se iniciou a sua residência em Santa Maria da Feira, em Setembro de 2007, com o apoio e colaboração da Câmara Municipal de Santa Maria da Feira e da Feira Viva, EM.

7 PERSONAGENS EM HORA DE PONTA assinala os 50 anos de carreira de Elisa Worm, toda uma vida dedicada à Dança, como intérprete, como professora, como criadora e também como incentivadora na criação de estruturas e na abertura de oportunidades e de condições de trabalho para as gerações mais jovens.

7 PERSONAGENS EM HORA DE PONTA, para além do elenco permamente do Ballet Contemporâneo do Norte, conta ainda com a participação especial de 14 voluntários que tomam parte activa no espectáculo. Por ocasião da estreia em Santa Maria da Feira esta participação será assegurada por um grupo de jovens do programa social de apoio a crianças e jovens em risco da Câmara Municipal de Santa Maria da Feira.

7 PERSONAGENS EM HORA DE PONTA, após a sua estreia em Santa Maria da Feira terá apresentações em Espinho – Academia de Música de Espinho, dia 12 de Fevereiro; e Aveiro – Estaleiro Teatral de Aveiro, 24, 25 e 26 de Fevereiro de 2010.

12/10/2009

DANÇA NOCTURNO de Luís Carolino

Mais info aqui



Uma mulher da vida, um homem solitário e uma falsa suicida habitam um espaço vazio.
Nocturno assume-se como uma visita à vida destas três personagens guiada pela própria Morte, a quarta personagem em cena, que nos fala a todos na primeira pessoa; fala-nos de si, do seu «trabalho», e de como nos vê. Um olhar muito próprio, implacável, terrível, mas, ao mesmo tempo, quase maternal: uma reflexão sobre esse incrível e improvável grão de tempo que é a nossa vida, o tudo-nada durante o qual somos.

Nocturno é uma incursão no nosso lado mais escuro, não necessariamente o nosso lado mais negativo, apenas o mais privado e secreto; o lugar de todos os medos e todas as ternuras, o reino da sensibilidade, da intimidade; o sítio onde nos encontramos com nós próprios.
Uma certa e solitária melancolia encontra-se com o mal de vivre contemporâneo deste nosso mundo que parece ter perdido o pé.

Isto assusta-nos, muito, mas é preciso não ter medo.

Luís Carolino, Maio 2008

Google+ Followers