11/25/2008

ContraDança dança e movimento

Numa colaboração entre o Ballet Contemporâneo do Norte e a companhia ASTA da Covilhã, contando com o apoio da Câmara Municipal de Santa Maria da Feira e da Feira Viva EM, terão lugar no Cineteatro António Lamoso vários espectáculos de dança e teatro e movimento contemporâneos apresentando ao público feirense uma extensão do festival CONTRADANÇA pela ASTA, companhia de teatro/performance da Covilhã, organizadora do Festival.

Serão apresentados
NOCTURNO
Ballet Contemporâneo do Norte
dias 26 e 27 
21:30

PLAGIAI
ASTA
dia 28
21:30H

POSSO AVANÇAR? PERGUNTOU O CAVALO
ASTA
dia 29
21:30H


O Ballet Contemporâneo do Norte colabora regularmente com o Festival CONTRADANÇA e com a ASTA, tendo-se apresentado na Covilhã, no âmbito daquele festival, em 2006 (com o espectáculo Peepshow) e em 2008 (com o espectáculo Nocturno).
Trazer uma extensão do Festival Contradança a Santa Maria da Feira é também uma oportunidade de voltar a apresentar Nocturno, após a sua estreia em Junho passado, no Cineteatro António Lamoso. Trata-se da primeira criação do Ballet Contemporâneo do Norte no curso da sua residência artística em Santa Maria, um espectáculo forte e intenso, simultaneamente acessível e exigente, que tem deixado o público, que a ele já assistiu, muito bem impressionado.


NOCTURNO
Uma mulher da vida, um homem solitário e uma falsa suicida habitam um espaço vazio.
Nocturno assume-se como uma visita à vida destas três personagens guiada pela própria Morte, a quarta personagem em cena, que nos fala a todos na primeira pessoa; fala-nos de si, do seu «trabalho», e de como nos vê. Um olhar muito próprio, implacável, terrível, mas, ao mesmo tempo, quase maternal: uma reflexão sobre esse incrível e improvável grão de tempo que é a nossa vida, o tudo-nada durante o qual somos.
Nocturno é uma incursão no nosso lado mais escuro, não necessariamente o nosso lado mais negativo, apenas o mais privado e secreto; o lugar de todos os medos e todas as ternuras, o reino da sensibilidade, da intimidade; o sítio onde nos encontramos com nós próprios.
Uma certa e solitária melancolia encontra-se com o mal de vivre contemporâneo deste nosso mundo que parece ter perdido o pé.
Isto assusta-nos, muito, mas é preciso não ter medo.
Luís Carolino, Maio 2008

Concepção e composição coreográfica | Luís Carolino
Interpretação e criação | Joana Nossa, Susana Otero, Rui Marques e Elisa Worm
Música | A Silver Mount Zion; Rachel’s e Anouar Brahem
Colagem musical | Luís Carolino
Figurinos | Patrícia Costa
Desenho de Luz | João Teixeira
Texto | Markus Zusak, «The Book Thief»
Tradução e texto adicional | Luis Carolino
Dramaturgia e adaptação do texto | Luís Carolino e Elisa Worm
Design Gráfico e imagem | Patrícia Costa
Fado Advinha, Mísia/José Saramago, cantado ao vivo por Joana Nossa
Produção | BCN
Duração | 60m sem intervalo
M/12




POSSO AVANÇAR? PERGUNTOU O CAVALO
ASTA_TeatrUBI


Os intérpretes jogam diferentes jogos de crianças, de integração, de guerra, de culto. Jogam a ser eles e outros, a representar, a dançar. Jogam no seu caminho e na sua história. Em palco, sucedem-se ligações que estão relacionadas com diferentes características do jogo a jogar, como a seriedade e o compromisso que implica esse jogo. Tensão e competição caminham lado a lado em palco, que há-de ser o seu campo de acção e passatempo.

co-produção | TeatrUBI e ASTA
coreografia e direcção | Cecília Gomez
direcção de produção | Rui Pires
desenho de luzes | Pedro Fonseca
design gráfico | Sérgio Novo
cenografia | João Cantador
operação de luz e som | Philip Beck
montagem musical | Mané Silva
guarda-roupa | TeatrUBI e ASTA
costureira | Maria Ramos
música | Compilação por Mané Silva
montagem e interpretação | Graça Faustino, João Cantador, Mafalda Morão, Nicia Silva, Rui Pires, Sérgio Novo

Sobre o jogo
O jogo, como acção ou ocupação livre que se desenvolve dentro de limites temporais e espaciais estabelecidos, segundo determinadas regras absolutamente obrigatórias, ainda que livremente aceites. Tem um fim em si mesmo e é acompanhado de um sentimento de tensão e alegria, bem como a consciência de ser diferente em relação à vida quotidiana. Esta categoria, pode ser considerada como um dos elementos espirituais mais fundamentais da vida. E como função primária geradora de cultura, como o vê e desenvolve o grande historiador Johan Huizinga no seu livro “Homo Ludens”.


PLAGIAI
ASTA_TeatrUBI

“A acção é uma loucura passageira” Paul Valéry
É muito mais fácil arrependermo-nos dos pecados que fazemos, do que daqueles que pensamos fazer. Por isso mesmo, acordaste sem te interessar onde estavas – algures entre o céu e a terra, entre as tuas sombras e a luz dos outros. Entre o que escondes desejar e o que te impõem aceitar. Entre a loucura da noite e os artifícios do dia.
Saíste! Convicto de que algo aconteceria. Até mesmo tudo podia acontecer. Tens a certeza de ir. Só não sabes se consegues voltar. Pecar é fácil. Frágil de ti mesmo, encontras nos espelhos dos outros a tua imagem, que tanto queres disfarçar. Ansiedade, desejo, angustia, vómito, adrenalina, sorrisos verdes, olhos vítreos, nuvens passageiras.
Foges, de ti… mais uma vez. Mas acabas sempre por transgredir… consciente ou não, já está. As coincidências não existem. Todos fazemos girar a vida.
Voltaste!
Mais uma vez te martirizas… tentas dormir… Uma vez mais, tentas redimir-te do que não tens certezas e não queres que amanheça.
Porque as nossas boas acções são, muitas vezes, piores que os nossos pecados…

co-produção | teatrubi _ asta
criação e encenação | antónio abernú
direcção de produção | rui pires
dispositivo cénico | antónio abernú, joão cantador
som e iluminotécnica | joão cantador
guarda-roupa | sérgio novo
design gráfico | sérgio novo
vídeo | mário gomes
interpretação | gabriel travado, graça faustino, mafalda morto, rui pires, sérgio novo
assistente de comunicação e rp | antonieta alves e pereira
assistente de realização vídeo | josé pedro graça


Reservas e bilhetes:

Cine Teatro António Lamoso
Av. Prof. Egas Moniz, 11
Santa Maria da Feira
Tel: 256375151

Bilhete normal: 5€
Descontos habituais

Google+ Followers